#08 – A não linearidade em A Chegada | AudiovisualCast

Memória é algo estranho. Estamos presos ao tempo e à ordem”.
Essas são as primeiras falas do filme A Chegada.

Quem assistiu a essa espectacular ficção científica percebeu o tamanho de desafio: como construir uma narrariva audiovisual com começo, meio e fim e que tenha um efeito de estar desprendida desse tempo e dessa ordem?

Luís dos Santos Miguel e Ana Beatriz Pereira de Andrade esmiuçaram essa questão e compartilharam os resultados conosco. Conversamos sobre as decisões artísticas do filme para trabalhar com essa não linearidade construída no discurso. Foram identificados elementos nas várias esferas da obra, como na direção de arte, decupagem, trilha sonora, montagem, etc.

Aproveitamos a oportunidade para discutir como o filme aborda temáticas como a percepção temporal e a importância da comunicação.

Pegue sua lousinha, seu passarinho e venha se comunicar com a gente!

Se preferir, escute pelo celular.

Quer contribuir com a discussão? Comente aqui ou mande um email para contato@audiovisualcast.com.br. O resultado será trazido no próximo episódio!

Vídeos citados no episódio:


Podcast citado no episódio:

Publicações científicas citadas no episódio:

Outros conteúdos citados:

E se quiser usar algo dito nesse podcast em sua pesquisa, facilito pra você:

MIGUEL, L. S.; ANDRADE, A. B. P.; OLIVEIRA, B. J. #08 – A não linearidade em A Chegada | AudiovisualCast. Podcast (70 min), 2017. Disponível em: <http://audiovisualcast.com.br/2017/10/08-a-nao-linearidade-em-a-chegada-audiovisualcast>. Acesso em: 22 Mai 2018.

Músicas utilizadas no episódio: youtube.com/hullomynameisalex.
A imagem da capa é de propriedade da Paramount Pictures e os áudios usados no episódio são de propriedade da Universal Music Enterprises e foram empregados neste podcast para fins de estudo e crítica, uso permitido conforme prevê o artigo 46 da Lei Nº 9.610/98.

Licença Creative Commons

4 comments

  1. Vale a pena ler a historia em que o filme é baseado. History of your Life do Ted Chiang. Tem umas diferenças muito interessantes, tipo a lingua escrita Heptapod B é mais baseado em Mandallahs concentricas do que em circulos.

Contribua com a discussão

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *